História




Jacques Dujarié e Basílio Moreau
Dois homens de fé e esperança e uma única missão:
Fazer Deus Conhecido, Amado e Servido
.



 



A história da Congregação de Santa Cruz começa na França nos conturbados anos que sucederam à Revolução Francesa.Essa instituição, destinada à formação cristã da juventude, é uma obra do Pe. Jacques Dujarié (1767-1838) que, preocupado com a educação das populações rurais, reuniu um grupo de educadores leigos para fundar a Associação dos Irmãos de São José em 1820.

Em 1835, o Pe. Basílio Antônio Moreau (1799-1873), personagem principal desta história, reuniu sacerdotes e seminaristas que, como ele, acreditava na grande importância do ensino e da capacitação de professores. Esse pequeno grupo, formado por apenas quatro religiosos, retirou-se a um mosteiro onde, sob orientação do Pe. Moreau, dedicaram longas horas à oração, meditação e sobretudo ao estudo. Com o fim do recolhimento, o grupo se estabeleceu e passou a dedicar-se a educação de 40 crianças.

Com idade avançada e doente, Pe. Jacques Dujarié viu em Pe. Basílio Moreau um sucessor à altura de sua obra por suas qualidades morais, fé e força de caráter. No dia 31 de agosto de 1835, confiou oficialmente a direção e os destinos de sua fundação ao Pe. Basílio Moreau. Com a união de Padres e Irmãos no “Ato Fundamental” em 1 de Março de 1837 surge a Associação de Santa Cruz, no bairro de Santa Cruz, em Le Mans. Em pouco tempo, o grupo se expandiu por dezenas de paróquias e escolas, atendendo as necessidades pastorais e educacionais da Igreja da França.

Em 1838 as voluntárias das obras apostólicas associaram-se aos religiosos dando origem às Irmãs Marianitas de Santa Cruz, reconhecida anos depois como congregação independente. Em 13 de maio de 1857, após anos de árdua batalha, Pe. Moreau viu as Constituições de Santa Cruz aprovadas pelo Papa Pio IX, transformando a associação em Congregação de Santa Cruz.

As Irmãs Marianitas, receberam em 1867 aprovação em nível mundial e em 1869 as Irmãs Marianitas da Província Americana adquiriu estatuto formal de Congregação Independente e passou a ser chamada de Congregação das Irmãs da Santa Cruz, em seguida no ano de 1883 as Irmãs Marianitas da Província Canadense também adquiriu Estatuto formal de Congregação Independente e tornou-se Congregação das Irmãs de Santa Cruz.

"Eu tinha concebido um plano de fundar três Sociedades consagradas aos santíssimos corações de Jesus, Maria e José e unidas entre si como a Santa Família". (Pe. Basílio Moreau, 1839).